MPB

MPB

 A voz é a emoção sonorizada, definiu o escritor e

 foniatra Pedro Bloch. Ela é preciosa, mas frágil.

Na verdade, é o cartão de visita de alguém, uma

 espécie de grife da pessoa. É capaz de abrir portas.

 Ou fechá-las. Cantores, políticos, pastores e

 professores formam o principal grupo de risco no

 desgaste da voz.

Seguem algumas reportagens e citações que

 mostram cantores de renome que enfrentaram

 "Problemas Vocais".

 

 

 

 Anitta

 

 

O exemplo mais recente foi o problema que tirou a cantora Anitta dos holofotes por algum tempo. Em setembro de 2016, a artista foi diagnosticada com um edema em um cisto nas cordas vocais. Ela já tinha conhecimento do transtorno e estava se cuidando para não piorar. Mas, devido a uma forte gripe, a situação acabou se agravando e teve que cancelar três shows. Por recomendações médicas, Anitta ficou de repouso absoluto por uma semana, correndo o risco de ter que se submeter a uma cirurgia.

 

 

 

Elis Regina

 

Trecho do Livro "Furacão Elis", destacando uma conversa entre as Cantoras Rita Lee e Elis Regina.

 

..." Certa vez eu operei os calos das minhas pregas vocais - eu tinha dois - e o médico me disse que eu teria de ficar um mês sem falar, era o segreda da operação.

Depois falei com ela (Elis ) e perguntei:  " Você ficou um mês sem falar quando operou as cordas vocais?".
 
 

 

 

 

 

 

 

 

O amor e o respeito são os principais ingredientes de Zezé Di Camargo (46) e Luciano (35) para manter a amizade. Com 17 anos de carreira e com mais de 26 milhões de discos vendidos, a dupla arrasta multidões por onde quer que vá. Desde cedo, eles se acostumaram a dividir as alegrias dentro e fora dos palcos. Mas, em janeiro de 2007, quando Zezé descobriu que teria que se submeter a uma cirurgia para a retirada de um cisto na borda de sua corda vocal, ele preferiu poupar o irmão. Apesar do susto, não contou nada para Luciano. O cisto, ele descobriu há cerca de dez anos. Era um problema congênito. O grande medo do compositor era algo dar errado e ele não voltar a ter a mesma voz. Já recuperado e de volta à ativa com o mesmo vozeirão de antes, Zezé falou pela primeira vez sobre sua tão temida cirurgia com exclusividade à CARAS, durante a turnê Duas Horas de Sucesso, que passou por Lisboa, Madri e Barcelona, a mesma que eles apresentam no Brasil desde maio de 2007. Além do trabalho, Luciano aproveitou a viagem para namorar sua mulher, a arquiteta Flávia Fonseca Camargo (29), já que no próximo mês eles completam cinco anos de casados. Passado o susto, a dupla celebra a fase de muito trabalho: o lançamento de seu 16o CD, no início de novembro, a gravação do terceiro DVD, em agosto, em SP, e também o cruzeiro musical É O Amor, no Costa Mágica, que será realizado em março de 2009.
- Zezé, como foi que você descobriu o problema?
- Com o passar dos anos percebi certa inconstância na minha voz. Há 12 anos fui ao médico pela primeira vez e foi diagnosticado o cisto. Foi por este motivo que parei de gravar o CD em 2007. Em compensação, quando voltei, gravei as 14 músicas em dois dias.
- O que sentiu nessa hora?
- Fiquei com muito medo. O primeiro médico que consultei não garantiu que a recuperação da minha voz seria de 100%. Aí fui embora do consultório, não poderia arriscar. Um ano depois em janeiro de 2007, meu produtor, César Augusto, me convenceu a procurar outro especialista. Foi quando encontrei o dr. Luiz Alian Cantoni. Com ele, senti a segurança de que após a cirurgia teria a mesma voz de antes.
- E aí decidiu operar?
- Sim, e queria operar logo, se fosse possível no mesmo dia, e acabar logo este pesadelo. O médico disse para eu ter calma porque tinha que fazer os exames pré-operatórios. Mas foi tudo muito rápido. Em uma semana estava na mesa de cirurgia, era 24 de janeiro de 2008. No terceiro dia já estava falando. Clinicamente o problema estava resolvido, só tive que me readaptar sozinho. Com tudo o que passei, admiro muito o jogador Ronaldo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
Mallu Magalhaes
 revelou em entrevista recente que “tem alguns problemas na corda vocal. Um nódulo, um calo e uma fenda. Os mais comuns, que é o calo e a rachadura, alguns cantores têm por uso. Eu tenho um calo grande, uma fenda grande e um nódulo, que é o mais preocupante. Isso é bem chato, me incomoda bastante” - Reprodução YouTube
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Problema de voz deverá tirar Gilberto Gil do ministério em 2008

Cantor deverá deixar a pasta da Cultura por causa de um pólipo que tinha sido removido havia dez anos

13 de novembro de 2007 | 16h
 
Agência Brasil

O ministro da Cultura, Gilberto Gil, confirmou nesta terça-feira, 13, que deverá sair do ministério no próximo ano. Segundo ele, essa decisão foi motivada por um problema de voz. "Tive a reincidência de um pólipo [calo] de voz que tinha sido removido havia dez anos", disse Gil.   Em entrevista a emissoras de rádio parceiras da Radiobrás, ele afirmou estar satisfeito com o trabalho no Ministério da Cultura, especialmente com o reconhecimento pelo governo e pela sociedade do papel estratégico da cultura. No entanto, para Gil, o momento é de fazer um recolhimento. "Eu especializei a minha voz em cantar, e ultimamente tenho usado mais para falar."   O ministro ainda detalhou o Programa Mais Cultura, que prevê investimentos de R$ 4,7 bilhões até 2010. Segundo ele, esse orçamento será utilizado em diversos ministérios, que vão se dedicar parcialmente a programas culturais. Como exemplo, Gil lembrou que o Ministério da Justiça vai fazer 300 pontos de cultura em áreas de risco para evitar o envolvimento da juventude com a violência.   O ministro disse que o programa foi desenvolvido em associação com os programas sociais do governo federal, dando atenção aos locais de maior vulnerabilidade social. "Os programas culturais vão estar trabalhando em função do aprimoramento da abordagem social geral que o governo lula vem fazendo", afirmou.   Gil ressaltou que o conceito de cultura vem sendo ampliado nos últimos anos no Brasil e no mundo. Segundo ele, até pouco tempo, eram consideradas culturais apenas as manifestações ligadas a artes e ao patrimônio. "Muita gente que não se achava culta, não se sentia parte da cultura, hoje se sente porque é parte da cultura."

 

 

Zé Henrique

 da dupla Zé Henrique & Gabriel



 

No ano passado, Zé Henrique, que faz dupla com Gabriel, confessou pela primeira vez publicamente que, em 2008, viveu um problema gravíssimo que o deixou sem voz. O que para um cantor, imagine, é o fim da linha. O problema que Zé teve é o mesmo que a cantora Adele enfrentou recente: “ Eu tinha um pólipo, o mesmo que a Adele teve. As duas cirurgias que eu fiz no Brasil, eram só para retirar o pólipo, mas infelizmente
aconteceram outras coisas”

 

 

Marina Lima

 

 Marina Lima enfrentou na década de 90 uma grave depressão, que acarretou diversos traumas, e se afastou dos palcos por algum tempo. Superada, voltou a se apresentar, mas não mais com a mesma tonalidade de voz. No começo ela achou que fosse uma sequela do antigo problema, porém, através de exames descobriu que por conta de uma gripe, suas pregas vocais apresentavam lesão.